Últimas Notícias
recent

PROJETO SÃO JOSÉ III - R$ 158 MI PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL

Serão financiados projetos produtivos com infraestrutura, beneficiamento e comercialização.
Seguindo a tradição dos últimos anos, por ocasião de comemorações alusivas ao padroeiro do Ceará, o governo do Estado mantém uma agenda de liberação de R$ 148 milhões para obras de segurança hídrica, projetos produtivos e serviço de assistência técnica que pretendem devem beneficiar 20 mil famílias de 101 municípios. O anúncio será feito neste fim de semana, nas cidades de Itarema, Crateús e Chorozinho.

Os recursos a serem investidos integram o Projeto São José III, sob a responsabilidade da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA). 
Segundo o governo, o valor faz parte do maior volume já liberado para projetos produtivos. Além dos R$ 148 mi, R$ 10 mi serão investidos em projeto de Mapeamento de Solo.
Os eventos acontecerão, no dia 18, em Itarema, às 8h30, e em Crateús, às 16h. No dia 19, será em Chorozinho, às 8h30. O governador Camilo Santana e o titular da SDA, Dedé Teixeira, vão entregar os Termos de Fomento para os beneficiários na festa de comemoração ao dia do padroeiro do Ceará, São José.
Finalidades
Os projetos e planos de negócio já estão em elaboração para melhoramento de áreas, unidade de beneficiamento de castanha de caju, de produção de aves, aquisição de novas variedades de adubação, de máquinas e equipamentos, plantio de novas áreas, construção de casa de farinha, construção de centro de pesca artesanal, de cozinhas comunitárias, de unidades de abate, de processamento de mandioca, de casa de semente crioula, de produção de coco babaçu, de centro de turismo comunitário, de galpão e casa de ovos, investimento em suporte forrageiro, implantação de agroindústria de caju, compra de equipamentos, mini fábrica, furadeira, além de implantação de sistemas de abastecimento d'água, de reúso e assessoria técnica.
O programa de mapeamento do solo vai contar com o apoio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O objetivo do projeto é desenvolver um estudo completo, atendendo, inicialmente, parte do Estado. O trabalho vai apontar a aptidão das terras e subsidiar a elaboração de um zoneamento agrícola com maior precisão e detalhe, identificando a melhor época de plantio e as culturas mais apropriadas.
A ideia do programa de mapeamento do solo é minimizar distorções e proporcionar condições para impulsionar o desenvolvimento dos beneficiários do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável. Permitirá, para tanto, a redefinição de políticas públicas.
Projeto São José
Desde 1996, o Governo do Ceará celebra contratos de empréstimo com o Banco Mundial com foco no eixo de combate à pobreza rural, por meio da estruturação e fortalecimento das associações comunitárias. O projeto São José é caracterizado pela participação descentralizada com a implantação de Conselhos Municipais.
Entre 1996 e 2000, ocorreu o Projeto São José I, com investimentos comunitários (projetos produtivos de infraestrutura e sociais), tendo como público alvo as pequenas comunidades rurais organizadas. Nesse período, foram financiados 3.056 subprojetos, num total de R$ 130 milhões, beneficiando mais de 189 mil famílias.
O São José II foi desenvolvido entre 2002 e meados de 2009. Foram financiados 2.887 subprojetos sendo 25 de infraestrutura produtiva, 1.837 de recursos hídricos, 530 de rede elétrica e 10 sociais, beneficiando 167.799 famílias de agricultores no Interior, com um total de R$ 176 milhões aplicados em 177 municípios cearenses.
Em outubro de 2012, foi assinado um acordo de empréstimo para execução do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável (PDRS), denominado de Projeto São José III. "Houve mudanças e as novas ações vão contribuir de forma mais efetiva com a melhoria das condições de vida de famílias rurais", observou o governador Camilo Santana.
Os técnicos que trabalham no Projeto São José III acreditam que as ações principais, aliadas a outras políticas e programas do governo federal em implementação no Estado do Ceará, vão contribuir para o desenvolvimento rural sustentável. A ideia agora é financiar projetos produtivos e de infraestrutura de apoio à produção, bem como ao beneficiamento e à comercialização.
Suporte
10
Milhões de reais dos R$ 158 milhões do São José III serão investidos em mapeamento de solo para auxiliar no processo de planejamento
http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/regional/r-158-mi-para-o-desenvolvimento-rural-sustentavel-1.1721827



Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Reriutaba Notícias.com - Direitos reservados. Tecnologia do Blogger.